A Polícia Judiciária, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, procedeu à detenção de um homem, de 49 anos, fortemente indiciado como coautor de crimes de roubo, sequestro, ofensas à integridade física, extorsão e devassa da vida privada.

Os factos foram cometidos em dezembro de 2017, quando uma mulher, amiga do ora detido, ao saber que o seu contrato de trabalho não iria ser prorrogado, acordou com o mesmo atrair o empregador à residência dela.

Ali reunidos, a fim de se apropriarem dos telemóveis e dinheiro que a vítima tinha consigo, agrediram-na e terão, igualmente, efetuado várias fotografias de natureza íntima à mesma, ameaçando-a com a divulgação pública de tais fotos, caso não fosse paga uma determinada quantia em dinheiro.

A vítima foi, posteriormente, libertada e não executou tal pagamento.

O detido encontra-se em situação de permanência irregular em território nacional e foi presente a primeiro interrogatório judicial, após o qual foi sujeito à medida de coação de apresentações bissemanais às autoridades.

A presumível coautora já havia sido detida em agosto passado, tendo ficado sujeita a termo de identidade e residência.

Imprimir