Foi detido pela Polícia Judiciária um jovem, indiciado pela prática de crimes de incêndio florestal

Direção Nacional

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, com a colaboração do Grupo de Trabalho para a Redução de Ignições em Espaço Rural – Zona Norte, identificou e deteve ontem, fora de flagrante delito, o presumível autor de nove incêndios florestais, ocorridos entre 12 de fevereiro e 04 de abril do corrente ano, numa freguesia do concelho de Arcos de Valdevez.

Os vários locais onde os incêndios ocorreram situam-se numa zona onde existiam condições de propagação a manchas florestais de grandes dimensões, gerando enorme risco, potencialmente alimentado pela carga combustível ali existente e pela orografia própria da região, o que se traduziu em perigo concreto para as pessoas, para os seus bens patrimoniais e para o ambiente.

Os incêndios consumiram vegetação herbácea, mato e arvoredo (principalmente pinheiros), só não atingindo maiores proporções devido à rápida e eficaz intervenção dos Bombeiros. A freguesia onde ocorreram os incêndios é, recorrentemente, e há vários anos a esta parte, alvo de ignições com natureza dolosa e que resultam em grandes áreas ardidas.

O detido, com 17 anos de idade, estudante, terá recorrido a chama direta para as respetivas ignições e atuado por motivos fúteis.

Presente à autoridade judiciária competente para primeiro interrogatório judicial, foi-lhe aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

 

Incêndio florestal
Imprimir