Os factos ocorreram em Setúbal

Direção Nacional

A Polícia Judiciária, em Inquérito dirigido pelo DIAP de Setúbal, através do Departamento de Investigação Criminal de Setúbal, localizou, identificou e deteve um homem, de 47 anos, por sobre ele recaírem fortes indícios da prática de um crime de homicídio qualificado, cometido com recurso à utilização de um martelo.

No passado dia 1 de fevereiro, o ora detido, juntamente com a vítima, seu patrão, encontravam-se a realizar obras de pintura no interior de uma residência nesta cidade, atividade esta que já decorria há alguns dias.

No decurso do trabalho, o ora detido, à semelhança do que já tinha acontecido em outras ocasiões, solicitou ao seu patrão um pagamento adicional, pedido não concretizado, porquanto o mesmo não teria dinheiro.

Perante tal, o detido, aproveitando um momento de distração da vítima, desferiu uma martelada no crânio da mesma, o que provocou de imediato, um ferimento, com perda abundante de sangue e a sua queda. Tais barulhos fizeram com que a proprietária do imóvel, que se encontrava em outra divisão da residência, acorresse ao local.

O detido informou que estava tudo bem, e não seria necessário chamar por socorro. Num primeiro momento a testemunha abandonou o local, aproveitando o detido, para desferir outra martelada no crânio da vitima, que lhe terá causado definitivamente a morte.

A testemunha, não satisfeita com a explicação dada pelo autor, informou-o de que iria chamar por socorro, procurando este impedir tal situação, sem sucesso.

O detido, aproveitou um momento em que a testemunha se ausentou da residência, para se apropriar de todo o dinheiro que a vítima tinha consigo, fugindo de seguida.

Presente a primeiro interrogatório, ao arguido foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

 

Homicídio
Imprimir