Burlas em Pirâmide

No âmbito de funções de prevenção criminal que legalmente estão atribuídas à POLÍCIA JUDICIÁRIA” compete-lhe alertar os cidadãos para práticas criminais detectadas e que no presente caso se enquadram da seguinte forma: 

Grupos de indivíduos” a coberto de vários tipos de empresas” levam a cabo reuniões” especialmente em hotéis” por todo o pais” tentando angariar cidadãos que invistam quantias que rondam os 2.000 euros” com a promessa de receberem ganhos astronómicos em relação ao dinheiro investido” bastando para tal angariarem outros cidadãos que invistam igual quantia. 

Na altura da entrega do dinheiro” levam o investidor a assinar um contrato” avisando que o valor entregue não é reembolsável e que a empresa cobrará uma comissão sobre todas as entregas e recebimentos. A empresa avisa ainda que o subscritor deverá ter consciência que pode ser o último da cadeia e como tal não recuperar o capital investido. 

As empresas até agora identificadas apresentam actividade distinta do seu objecto social.

Desde já alertamos para a ilegalidade desta actividade” quer na perspectiva dos angariadores” quer na perspectiva dos depositantes.